ESCOLA DIACONAL SÃO FILIPE




ESCOLA DIACONAL SÃO FILIPE
CONSELHO DIOCESANO DE DIÁCONOS
Av. Independência, 1146 - Bairro Higienópolis
CEP 13.417-370 - Piracicaba (SP)
Fone:  (19) 2106.7575 – Fax: (19) 2106.7550


Documento 01/2015

REQUISITOS PARA O INGRESSO NA ESCOLA DIACONAL

COMO CANDIDATO AO DIACONADO PERMANENTE


Os critérios para a escolha dos candidatos ao Diaconado Permanente na Diocese de Piracicaba, abaixo mencionados, seguem as orientações emanadas da Santa Sé, a saber: Normas Fundamentais para a Formação dos Diáconos Permanentes e Diretório do Ministério e da Vida dos Diáconos Permanentes, e as Diretrizes para o Diaconado Permanente na Igreja do Brasil (CNBB, Doc. 96, 49ª Assembléia Geral, 2011).

No discernimento acerca dos candidatos, sejam levados em consideração os seguintes critérios (Doc. 96, nº 137):

I. - REQUISITOS PESSOAIS (Doc. 96, nº 138)

1)        Saúde física e psíquica e equilíbrio afetivo-emocional;
2)        Idade mínima de 35 anos e máxima de 55 anos para início na Escola Diaconal;
3)        Estado civil e profissão compatíveis com o ministério diaconal;
4)        Independência econômico-financeira;
5)        Escolaridade equivalente ao ensino médio;
6)        Capacidade de liderança e espírito de equipe;
7)        Capacidade de autocrítica, de renovação, de formação permanente;
8)        Seja conhecido pela comunidade, pelo pároco ou administrador paroquial e que tenha boa aceitação.

II. REQUISITOS ECLESIAIS (Doc. 96, nº 139)

1)        Maturidade na fé;
2)        Visão de Igreja solidária com a realidade atual;
3)        Capacidade de comunhão eclesial para ouvir, dialogar e acolher;
4)        Consciência apostólico-missionária;
5)        Vida sacramental e busca contínua de conversão;
6)        Espírito de oração e de contemplação;
7)        Espírito de serviço, principalmente aos mais pobres;
8)        Interesse pelo estudo e aprofundamento da Palavra de Deus e da doutrina da Igreja;
9)        Disponibilidade e condições para o estudo e formação oferecida pela Escola Diaconal;
10)    Engajamento pastoral na Paróquia;

III. REQUISITOS FAMILIARES (Doc. 96, nº 140)

1)        Aceitação, consentimento e colaboração efetiva da esposa e dos filhos;
2)        Estabilidade matrimonial e convivência mínima de cinco anos de vida matrimonial;
3)        Envolvimento da família na caminhada da comunidade;
4)        Vida familiar em coerência com os ensinamentos da Igreja;

IV. REQUISITOS COMUNITÁRIOS (Doc. 96, nº 142)

1)        Consciência de que será diácono da Igreja e não apenas de um grupo ou de uma comunidade determinada;
2)        Engajamento pastoral na comunidade em que participa;
3)        Visão do ministério como dom e serviço, superando possíveis tendências utilitaristas e autoritárias;
4)        Sensibilidade para os desafios que se apresentarem na comunidade;
5)        Comunhão com o bispo, presbíteros, diáconos e todos os organismos do povo de Deus;
6)        Capacidade de inculturação;
7)        Capacidade de perceber, valorizar e interagir com outros ministérios e lideranças da comunidade;
8)        Visão de pastoral de conjunto e abertura missionária;
9)        Capacidade de diálogo ecumênico com outras denominações cristãs;
10)    Aceitação pela comunidade e pelo presbitério;

V. REQUISITOS PARA A INSCRIÇÃO NA ESCOLA DIACONAL

1)        Carta de apresentação do pároco ou administrador paroquial;
2)        Carta da esposa concordando com a participação do esposo na Escola Diaconal e a eventual ordenação;
3)        Preenchimento ficha de inscrição;
4)        Responder o questionário (no 1º dia do encontro);
5)        Apresentar certidões negativas de SERASA, SPC e Antecedente criminal.

Informações gerais SOBRE A ESCOLA E O DIACONADO PERMANENTE:

1)        A Escola Diaconal terá 35 vagas ao máximo;
2)        As fichas de inscrição serão analisadas pelo Conselho Diocesano de Diáconos e o resultado dessa análise será apresentado ao Conselho de Formação, Ordens e Ministérios, a quem cabe a resolução final;
3)        Para a manutenção da Escola Diaconal haverá uma contribuição mensal de 25% (vinte e cinco por cento) do Salário Mínimo vigente, a ser paga pelo candidato ou sua paróquia de origem;
4)        A formação da Escola terá duração de 5 (cinco) anos. Funcionará aos sábados, no período da manhã, das 8h00 às 12h00, no Centro Diocesano de Pastoral, em Piracicaba.
5)        Haverá Retiros e Encontros de Formação anuais com a participação das esposas, conforme a programação;
6)        Os períodos de férias serão os seguintes: 2ª quinzena de dezembro e meses de janeiro e julho.
7)        O candidato deverá ter no mínimo 80% de presença, por disciplina, e todas as ausências deverão ser justificadas por escrito.
8)        No 3º ano da Escola haverá o “Rito de Admissão entre os candidatos à sagrada ordem”, no 4º ano a investidura no ministério de “Leitor” e no 5º ano a investidura no ministério de “Acólito”, bem como o Processo de Ordenação Diaconal com os escrutínios;
9)        A participação na Escola Diaconal não implica, necessariamente, na ordenação diaconal;
10)    Aprovação dos candidatos ao Diaconado Permanente cabe ao Senhor Bispo Diocesano, ao Conselho de Formação, Ordens e Ministérios e à Equipe de Formação da Escola Diaconal;
11)    A Diocese e as paróquias não se responsabilizam pela manutenção do diácono permanente e sua família, devendo todos, até à aposentadoria, exercer uma profissão, registrar-se nos órgãos oficiais de previdência e recolher os encargos sociais (cf. Art. 34 do Estatuto do CDD);
12)    A Paróquia deverá oferecer ao(s) seu(s) Diácono(s) Permanente(s) uma gratificação no valor de um (1) Salário Mínimo vigente mais a reposição dos custos decorrentes do exercício ministerial nela prestado, mediante apresentação dos devidos comprovantes, de comum acordo entre o Pároco e o Diácono, consultado o CAEP (cf. Art. 35 do Estatuto do CDD);
13)    O diácono receberá provisão do bispo diocesano para exercer o ministério diaconal, podendo ser designado para qualquer paróquia ou serviços que o Bispo determinar.


         Piracicaba, Maio, A.D. 2015.                                                    Pe. William Martins
              Delegado Episcopal para os Diáconos

               Pelo Conselho Diocesano de Diáconos



Nenhum comentário:

Postar um comentário