sábado, 8 de junho de 2013

MINISTÉRIO DE ACÓLITO INSTITUÍDO





CANDIDATOS AO DIACONADO RECEBERÃO O MINISTÉRIO DE ACÓLITO INSTITUÍDO

Neste quinto ano de formação, os 28 candidatos ao diaconado permanente receberão o ministério de Acólito. O acontecimento se dará no próximo dia 17 de junho de 2013, às 20 horas, em Piracicaba, durante a Celebração do 51º aniversário da Dedicação da Catedral de Santo Antônio, a qual será presidida pelo nosso Bispo Dom Fernando.

Os candidatos pertencem a diversas cidades da Diocese de Piracicaba:


02 de Capivari

15 de Piracicaba

04 de Rio Claro

07 de Santa Bárbara d´Oeste

FUNÇÕES DO ACÓLITO


As funções que o acólito pode exercer são de diversos tipos; algumas delas podem ocorrer simultaneamente. Convém, por isso, que sejam oportunamente distribuídas entre várias pessoas, mas se estiver presente um único acólito, este execute o que for mais importante, distribuindo-se as demais entre outros ministros (IGMR 187).

NOS RITOS INICIAIS


Na procissão para o altar, o acólito pode levar a cruz, entre dois ministros que levam velas acesas. Depois de chegar ao altar, depõe a cruz perto do altar; se não, guarda-a em lugar digno. Em seguida ocupa o seu lugar no presbitério (IGMR 188).

Durante toda a celebração, cabe ao acólito aproximar-se do sacerdote ou do diácono, para lhes apresentar o livro e ajudá-los em outras coisas necessárias. Convém, portanto, que, na medida do possível, ocupe um lugar do qual possa comodamente cumprir o seu ministério, quer junto à cadeira quer junto ao altar (IGMR 189).

NA LITURGIA EUCARÍSTICA


Não havendo diácono, depois de concluída a oração universal, enquanto o sacerdote permanece junto à cadeira, o acólito põe sobre o altar o corporal, o purificatório, o cálice, a pala e o missal. A seguir, se for o caso, ajuda o sacerdote a receber os donativos do povo e, oportunamente, leva para o altar o pão e o vinho e os entrega ao sacerdote. Usando-se incenso, apresenta ao sacerdote o turíbulo e o auxilia na incensação das oferendas, da cruz e do altar. Em seguida, incensa o sacerdote e o povo (IGMR190).

O acólito, legalmente instituído como ministro extraordinário, pode, se for necessário, ajudar o sacerdote a distribuir a comunhão ao povo. Se a Comunhão for dada sob as duas espécies, na ausência do diácono, o acólito ministra o cálice aos comungante, ou então o segura, se a comunhão for dada por intinção (IGMR 191).

Do mesmo modo, o acólito legalmente instituído, terminada a distribuição da comunhão, ajuda o sacerdote ou o diácono a purificar e arrumar os vasos sagrados. Na falta de diácono, o acólito devidamente instituído leva os vasos sagrados para a credência e ali, como de costume, os purifica, os enxuga e os arruma (IGMR 192).

Terminada a Missa, o acólito e os demais ministros, junto com o sacerdote e o diácono, voltam processionalmente à sacristia do mesmo modo e na mesma ordem em que vieram (IGMR 193).

Junho de 2013.

Diác. Ademar Fragoso

 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário