terça-feira, 27 de novembro de 2012

TEMPO DE ADVENTO E NATAL




SUGESTÕES PARA O TEMPO DE ADVENTO E NATAL (Fonte:Revista Vida Pastoral)

1º DOMINGO (2/12):

  • O espaço da celebração deve estar despojado e sóbrio. Um tronco com um broto ajuda a simbolizar o sentido da espera.
  • Não utilizar símbolos que já antecipam o Natal: pisca-pisca, árvore de Natal. Deixe o Advento ser o Advento.
  • Enquanto as pessoas vão chegando pode-se cantar o refrão: “Vem vindo a Libertação! Ergam a cabeça, levantem do chão”
  • Muitas comunidades costumam usar a Coroa do Advento. Sua forma circular sem começo e sem fim, está ligada à perfeição. O redondo cria harmonia, junta, une. A Coroa é feita de ramos verdes, sinal de vida e esperança. São usadas quatro velas. A cada domingo acende-se uma vela da coroa. De uma a uma, a luz vai aumentando até chegar à grande festa da Luz, que proclama Jesus Cristo como Salvador, Sol do nosso Deus que nos visita. Que arma sua tenda entre nós (Jo 1, 1-14). Quanto à cor da velas, normalmente é usada a vermelha, que em quase todas as partes do mundo, tem significado de amor. No Brasil, somos marcados profundamente pelas culturas indígena e afro, onde o brilho das cores, da festa, dança, da harmonia com o universo está presente de uma maneira esplendorosa e reveste as celebrações. Dessa forma, temos costume de utilizar na coroa velas coloridas, uma de cada cor.
  • Preparar antecipadamente a coroa no local da celebração. No material utilizado, usar de preferência o natural. É preciso prevalecer a verdade nos sinais. Também na decoração da coroa não usar brilho, pois procedendo dessa maneira, estaríamos antecipando a festa da plena luz que é o Natal e deixando de experimentar a feliz espera da manifestação do Senhor que acontece nas festas do Natal. Sendo o altar símbolo do Cristo é recomendável que não se coloque a coroa sobre ele.
  • Após o Ato penitencial, antes da oração da coleta, seja introduzida a primeira vela da Coroa do Advento Animador: Esta vela simboliza nosso desejo de acolher a presença de Deus que chega através de Jesus que vem para libertar seu povo.
  • 1 pessoa entra com a vela acesa (pode ser uma mulher grávida), enquanto isso a comunidade canta: Vem vindo a Libertação! Ergam a cabeça, levantem do chão”
Levantando a vela e aproximando-se da coroa reza-se: Bendito sejas, Deus bondoso, pela luz de Cristo, sol de nossas vidas, a quem esperamos com toda ternura de coração.

 

  • Antes do inicio da Liturgia da Palavra, compreendendo que o nascimento de Jesus inaugura uma nova Criação, sejam, trazidos os materiais que servirão de base para o presépio da comunidade (pedras, papelão, palha, etc.). Obs. Durante a semana, no local destinado à montagem do presépio, os responsáveis disponham o material da forma que deverão ficar.
  • Os cantos e músicas, executados com atitude espiritual condizentes com o tempo ajudam a comunidade adentrar no mistério celebrado. O Hinário Litúrgico da CNBB n.1, traz muitas sugestões. Também o Oficio Divino das Comunidades contém um rico repertório para esse tempo.
  • O Advento é tempo próprio para revisão e retomada das opções fundamentais, de acordo com a proposta do Reino, por isso é tempo adequado para a celebração da penitencia. As equipes podem prever celebrações penitenciais.
  • Antes da benção final, seja feito o envio missionário das pessoas que irão animar a Novena de Natal nas famílias.


   2º DOMINGO (9/12)

  •   Enquanto as pessoas vão chegando pode-se cantar o refrão: “Vem vindo a Libertação! Ergam a cabeça, levantem do chão”
  • Entrada da vela da coroa do Advento como na semana anterior.
Animador: Esta vela simboliza a esperança que se acende em nós com a vinda de Jesus, para lutar e crer, vencer a dor, louvar o Criador, pois a justiça e a paz vão reinar pelo amor

  • Acender a 2ª vela da Coroa do Advento. Pouco a pouco vamos aplainando o caminho do Senhor. Pode-se realizar o rito proposto para acendimento das velas (ver domingo anterior)
  • No inicio da Liturgia da Palavra, compreendendo que o Advento nos convida para prepararmos os caminhos do Senhor, sejam trazidas as estatuas de animais e estrela que farão parte do presépio da comunidade. Obs.Durante a semana, no local destinado à montagem do presépio, os responsáveis disponham as imagens na forma como deverão ficar.
  • As leituras podem ser contadas de forma que fique evidente o anúncio.
  • Manifestando o desejo de que Cristo nasça em todos os corações, no momento da procissão das ofertas, seja introduzido o globo terrestre ou mapa- mundi, seguido das espécies a serem consagradas.
  • Como gesto concreto da vivência do Advento, antes da despedida, incentive-se a contribuição da comunidade para a Campanha Nacional da Evangelização. Reforçando o sentido de que Cristo precisa ser anunciado a toda a humanidade.
  • No rito de envio, acentuar a nossa vocação profética. De volta à nossa realidade ter a coragem de anunciar o Reino e denunciar tudo o que contradiz a implantação do mesmo. Ide em paz. Vivei na esperança e na busca de uma vida pura e sem mancha. Anunciai a todos a consolação de Deus e a certeza de que o Senhor vem.

3º DOMINGO (16/12)

  • O espaço da celebração deve estar despojado e sóbrio, porém sendo hoje o domingo da alegria, usam-se flores com moderação.
  • Se ainda não foi adotada a cor rosada hoje é conveniente usá-la
  • Enquanto as pessoas vão chegando pode-se cantar o refrão: “Abra a porta, abra a janela, venha ver quem é que vem! É Jesus que vem chegando, Ele é o nosso bem!”
  • Entrada da Vela da Coroa do Advento como nos domingos anteriores

Animador: esta vela simboliza a justiça de Deus que se cumpre plenamente com a vinda de Jesus, que nos ensina a sermos irmãos que devem caminhar lado a lado ao encontro do Senhor

  • Acender a terceira vela da coroa do Advento (sugestão domingos anteriores)
  • Após a saudação inicial, a comunidade pode dizer os motivos que têm para se alegrar e ter esperança
  • No inicio da Liturgia da Palavra, compreendendo que o Advento nos convida para darmos carne à justiça de Deus, através do serviço aos mais pobres e humildes, sejam trazidas as imagens dos pastores, dos magos e outros que farão parte do presépio da comunidade. Obs.Durante a semana, no local destinado à montagem do presépio, os responsáveis, disponham as imagens na forma como deverão ficar.
  • Como gesto concreto da vivência do Advento, antes da despedida, incentive-se a contribuição da comunidade para a Campanha Nacional da Evangelização. Reforçando o sentido de que Cristo precisa ser anunciado a toda a humanidade.

 

4º DOMINGO (23/12) 

  • Valorizar o gesto de acolhida a exemplo de Maria, que acolheu com alegria o Salvador
  • Acender a quarta vela do Advento (ver sugestão domingos anteriores)
  • Entrada da vela da coroa do Advento como nos domingos anteriores.
Animador: Esta vela simboliza nosso desejo de, à semelhança de Maria responder SIM à vontade de Deus e viver com fidelidade nossa vocação cristã

  • No inicio da Liturgia da Palavra, compreendendo que o Advento nos convida a gerarmos Jesus em nossa vida, através de nossas atitudes de amor e de acolhida aos irmãos sejam trazidas as imagens de Maria e José que farão parte do presépio da comunidade. Obs.Durante a semana, no local destinado à montagem do presépio, os responsáveis, disponham as imagens na forma como deverão ficar.
  • No momento das preces, enaltecendo a presença de Maria como nossa intercessora e exemplo de fidelidade, poderia se rezar a Ladainha de Nossa Senhora ou cantar a Litania dos Empobrecidos (Ave cheia de graça, Ave de Amor! Salve, ó Mãe de Jesus, a ti nosso canto e nosso louvor! – e as estrofes)
  • Neste dia pode-se dar uma benção especial para as mulheres grávidas:Ó Deus, ternura de paz, nós te contemplamos na gravidez de Maria e na gravidez dessa (s) nossa (s) irmãs. Dá saúde a esta (s) crianças que estão para nascer e tranquilidade às suas mães. Bendito sejas pela alegria da vinda de Jesus Cristo, nosso Salvador. Amém.
  • Estendendo as mãos sobre a (s) mãe (s), reza (enquanto isso a (s) mãe (s) de cabeça inclinada, coloca a mão sobre a barriga)
  • Ó Deus defensor da vida, confirma esta (s) mulher (es) na fé e na missão de acalentar a vida que está para nascer. Amém
  • E todas as mães aqui reunidas, abençoe o Deus de bondade. Pai, Filho e Espírito Santo. Amém
  • No rito de envio: Ide em paz. Caminhai na certeza da presença do Senhor 

24 DE DEZEMBRO- NATAL DO SENHOR- MISSA DA NOITE

  • Um pouco antes da celebração, a comunidade pode cantar um refrão meditativo: “Após espera tão longa, irrompe a noite que é dia, até palácios se apagam diante da estrebaria” (ou ouro apropriado)
  • A celebração comece com um lucernário. Estando todas as luzes apagadas, após a motivação inicial, o presidente portando uma grande vela acesa, ladeado pelos ministros com velas nas mãos, entra na Igreja, enquanto se entoa o canto de entrada. Ao término do canto de entrada, acendem-se as luzes e se dá sequência à celebração.
  • Com as velas acesas faz-se a proclamação do Anúncio do nascimento de Jesus, do ambão

      modo: No inicio da celebração do Natal, estando o ambiente no escuro, após o acendimento das velas, procede-se a uma espécie de recordação da vida: uma recordação do nascimento de Jesus no tempo, em forma de anúncio. Quem vai proclamar o faz do ambão.

Meus queridos Amigos e Irmãos na Fé!

“Alegremo-nos todos no Senhor:

Hoje nasceu o Salvador do mundo,

Desceu do céu a verdadeira paz!”

Transcorridos muitos séculos desde que Deus criou o mundo

e fez o homem à sua imagem;

- séculos depois de haver cessado o dilúvio,

quando o Altíssimo fez resplandecer o arco-íris,

sinal de aliança e de paz;

- vinte e um séculos depois do nascimento de Abraão, nosso pai;

- treze séculos depois da saída de Israel do Egito sob a guia de Moisés;

- cerca de mil anos depois da unção de Davi como rei de Israel;

- na septuagésima quinta semana da profecia de Daniel;

- na nonagésima quarta Olimpíada de Atenas;

- no ano 752 da fundação de Roma;

- no ano 538 do edito de Ciro autorizando a volta do exílio

e a reconstrução de Jerusalém;

- no quadragésimo segundo ano do império de César Augusto,

enquanto reinava a paz sobre a terra, na sexta idade de mundo.

JESUS CRISTO DEUS ETERNO E FILHO DO ETERNO PAI,

querendo santificar o mundo com a sua vinda,

foi concebido por obra do Espírito Santo e se fez homem;

transcorridos nove meses nasceu da Virgem Maria em Belém de Judá.

Eis o Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo a natureza humana.

Venham, adoremos o Salvador.

Ele é Emanuel, Deus Conosco.

 “Eu vos trago a boa-nova de uma grande alegria:

é que hoje vos nasceu o Salvador, Cristo, o Senhor” (Lc 2,10s)

  • Após o Ato Penitencial, no momento do Glória, alguns jovens e adolescentes entram com a imagem do Menino Jesus, que deve ficar num lugar de destaque próximo ao altar. Durante o canto de glória toquem-se os sinos em sinal de alegria.

§  O Hino do Glória é entoado solemente. Enquanto toda a assembléia canta jubilosa, podem  ser realizados gestos que expressam a alegria e o júbilo. Com,o vimos, por exemplo: o toque do sino da Igreja, incensação do altar...

§  As leituras sejam bem proclamadas. Nesta noite o Verbo feito carne habita entre nós.

§  A oração e o abraço da paz podem receber destaque neste dia. A bandeira da paz pode ser um sinal expressivo

§  Depois da proclamação do Evangelho a imagem do menino Jesus é introduzida por uma criança, no presépio, acompanhada por duas pessoas com velas. O presidente incensa a imagem e todos cantam: Hoje uma luz brilhou para nós. Hoje nasceu nosso Deus e Senhor. Pode ser feita também uma oferta de flores, por crianças, ao Menino Jesus.

OU

  • Após a benção final, antes da despedida, o presidente toma a imagem do Menino Jesus e, em procissão com os ministros da liturgia, vão depositá-la no presépio. Em seguida, abençoa o presépio e asperge com água benta. Ali mesmo, junto ao presépio, despede a comunidade. Cantar Noite Feliz
  • Deixar o abraço da paz para este momento quando se desejma um Feliz Nascimento

 

§  Comunhão sob as duas espécies

§  A benção final própria para o Tempo do Natal, conforme Missal Romano

§  Algumas comunidades costumam fazer uma confraternização após a celebração.

 

MISSA DO DIA (25/12) 

§  Um pouco antes da celebração, a comunidade pode cantar um refrão meditativo: “Após espera tão longa, irrompe a noite que é dia, até palácios se apagam diante da estrebaria” (ou ouro apropriado)

§  No início da celebração, pode-se entrar com o Círio Pascal aceso e a imagem do Menino Jesus, enquanto isso entoa-se o refrão: A luz resplandeceu, em plena escuridão, jamais irão as trevas vencer o seu clarão”

§  Dar destaque especial à liturgia da Palavra, proclamando bem as leituras. Que assembléia esteja bem atenta para a escuta. Recordamos que a proclamação da Palavra de Deus é um verdadeiro diálogo entre Deus e a comunidade de fé.

§  Pode-se solenizar a proclamação da profissão de fé, por exemplo, com velas acesas. É oportuno usar o Símbolo Niceno-Constantinopolitano

§  Dar destaque à liturgia Eucarística: o Prefácio pode ser cantado, o Santo pode ser realizado com danças e uso de incenso, cantar as aclamações eucarísticas, as respostas e o Amém final com entusiasmo.

§  É bom que a comunhão seja sob duas espécies para todos

§  Benção especial para as crianças e solene para todo o povo, própria para o Natal.

 

     SAGRADA FAMÍLIA (30/12)

§  Ter presente a participação das famílias em diversos momentos da celebração: na procissão de entrada, algumas famílias podem entrar em procissão; participação na liturgia da Palavra, como leitores, salmistas, participação na procissão das oferendas...

§  Na homilia, uma família pode dar um testemunho

§  Rezar a oração do Pai Nosso de mãos dadas, formando uma só família.

§  A comunhão seja feita sob duas espécies

§  Dar uma benção especial para as famílias, no final  

          

Nenhum comentário:

Postar um comentário